Síndrome de Down: Família e Sociedade

downA Síndrome de Down é uma alteração genética, que causa limitações intelectuais e físicas em diferentes graus, necessitando de cuidados específicos.

Porém, durante muito tempo, a pessoa com Síndrome de Down foi olhada e tratada como se fosse um doente ou uma eterna criança. Essa imagem cristalizada na mente da sociedade dificultava o desenvolvimento de suas potencialidades, dando ênfase à doença e desvalorizando a pessoa em seus desejos, interesses, possibilidades e direitos.

Atualmente, existem esforços que buscam um olhar mais direcionado à pessoa, fornecendo maiores oportunidades em diversos contextos sociais como na família, na escola, no lazer, no trabalho, entre outros.

Essa inserção sociocultural é o grande objetivo da equipe multidisciplinar nesse processo de interação e integração. Na concepção de Silva e Dessen (2002), a inserção adequada da criança com essa síndrome, no seu contexto sociocultural, é de grande importância para a sua adaptação e bem-estar, e a família desempenha um papel primordial como mediadora nesse processo.

É a família o primeiro universo de relações sociais da criança, podendo proporcionar-lhe um ambiente de crescimento e desenvolvimento; ou, ao contrário, um ambiente que venha dificultar um desenvolvimento mais adequado e saudável.

Para que a família consiga desempenhar esse papel positivo, é necessário que ela receba informações objetivas e adequadas, fazendo com que as necessidades de cada criança sejam devidamente atendidas por profissionais capacitados.

A qualidade da estimulação oferecida e a interação desta pessoa com a família e a sociedade se associam ao desenvolvimento e à aprendizagem. Para uma melhor compreensão sobre a Síndrome de Down, o foco das intervenções deve ser o ser humano na sua totalidade, para que ele tenha uma melhor abordagem na evolução no pensamento da sociedade, refletindo e respeitando as dificuldades encontradas nessa patologia, aprimorando esse modelo assistencialista e avançando para modelos de apoio e de respeito aos direitos da pessoa.

Devemos nos esforçar para que todas as pessoas sejam capazes de construir uma identidade baseada não nas dificuldades, mas em suas possibilidades e atitudes, as quais fortaleçam seus projetos de vida.

Nosso desafio consiste em reconhecer e respeitar o tempo de crescimento e em saber aceitar uma condição de adulto no lugar de uma eterna criança. Se estivermos convencidos de que todos os seres humanos têm possibilidade de crescer e de formar parte ativa da sociedade, eles acabarão respondendo a essa expectativa.

Karina Maria da Luz – Psicóloga e

colaboradora da Fundação João Paulo II

CRP: 06/1096

No dia 21 de março, é comemorado o Dia Internacional da Síndrome de Down

Related Stories

spot_img

Menu

Capela de Nossa Senhora dos Remédios

  A programação na Capela de Nossa Senhora dos Remédios está sob a responsabilidade do...

São Josemaria Escrivá

Localização: Av Mario José Azevedo de Almeida, 143 |Sorocaba - SP Missas: Todos os sábados, às 17:30...

São Marcos

    Localizada na Rua: Trajano Ataíde - Jardim Sao Marcos, Sorocaba - SP - 18056-560 Missas: • Segunda à Sexta-feira...

Quinta-feira – Santa Missa

O Santuário São Judas Tadeu convida todos para participar da Santa Missa que será...

Santa Missa. Veja os horários!!

O Santuário São Judas Tadeu convida todos para participar da Santa Missa. As Missas serão...

Categoria

Comments